Países criam vistos para atrair quem trabalha em home office

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Países criam vistos para atrair quem trabalha em home office

Houve um  grande aumento no home office durante a pandemia, mas antes mesmo, esse método de trabalho vinha sendo aderido por milhares de empresas.

Porém foi na quarentena, que os CEOs enxergaram no trabalho remoto, uma forma de reduzir custos significativamente.

Foi realizada pela Fundação Getúlio Vargas, sobre a adesão ao home office.

Segundo essa pesquisa, os dados apontaram que 30% das empresas brasileiras manterão seus colaboradores em trabalho remoto após a pandemia.

Mas, para trabalhar remotamente, o lugar importa? Para os nômades digitais, a resposta é, não!

Os nômades digitais são profissionais que gostam de viajar e conhecer novos destinos sem se preocupar em criar raízes em um só lugar.

E para que eles possam trabalhar, é preciso somente de um bom acesso a internet, assim é fácil desempenhar sua função em qualquer lugar do mundo.

Esse estilo de vida e regime de trabalho tem se tornado cada vez mais popular ultimamente, inventivamente inclusive, governos internacionais.

Estônia

A nação báltica divulgou a criação de um visto especial para nômades digitais, onde ao invés de 90 dias de permanência, os “turistas” poderão viver e trabalhar legalmente até um ano no local.

O governo informou que 1.800 vistos serão disponibilizados por ano, e o principal critério será a comprovação de renda remota.

O objetivo da criação do visto é atrair novos trabalhadores para movimentar a economia local.

Geórgia

A Geórgia também atualizou sua política de geração de visto para atrair os nômades digitais.

E por isso, os profissionais poderão permanecer e trabalhar remotamente por pelo menos seis meses.

É necessário preencher um formulário online, que será disponibilizado em breve, porém os requisitos ainda não foram divulgados.

Mas, o que se pode adiantar, é que, como medida de segurança, será necessário realizar uma quarentena de 14 dias às próprias custas assim que chegar ao país.

Caribe

A primeira-ministra de Barbados, Mia Amor Mottley, recentemente anunciou o lançamento do “selo de boas-vindas de 12 meses”, tipo de visto especial para estrangeiros trabalharem remotamente na ilha por até um ano.

Com o visto, Barbados tem uma intenção parecida com a Estônia, atrair viajantes depois da pandemia para movimentar a economia local, que foi bastante afetada pelo COVID.

Quer ler esse artigo completo e conferir quais outros países estão criando vistos especiais para turistas?

Clique AQUI e visite o site Turismo Viagem.

Acesse também nosso BLOG e leia mais artigos sobre viagens.

Comentários

Assine nossa Newletter

Receba novidades, dicas e ofertas da Deboni Câmbio direto no seu e-mail.

Fale com a Deboni Câmbio

Curitiba - PR
Rua Mal. Deodoro, 261 - Galeria Minerva, Loja 06 - Curitiba/PR
contato@debonicambio.com.br
Joinville - SC
Rua Blumenau, 64, Loja 12, Galeria Adville Business - Centro
joinville@debonicambio.com.br
Campo Grande - MS
Av. Afonso Pena, 5.723, sl. 1707, Ed. Evolution Business Center
campogrande@debonicambio.com.br
Exclusivo p/ clientes indicados por agências

Faça uma denúncia

Este é um canal que atende a Resolução 4.567 de 27 de abril de 2017 do Banco Central do Brasil, a qual exige que toda instituição financeira deve disponibilizar um canal para comunicação de indícios de ilicitude relacionados às atividades da mesma. A denúncia pode ser realizada de forma anônima ou identificada. Estão assegurados o tratamento confidencial das informações e a proteção da identidade do denunciante quando informada. Descrição da Estrutura Simplificada de Gerenciamento Continuo de Riscos – Segmento S5 Em caso de denúncia anônima, não preencha os dados de identificação do formulário.

Fale com a ouvidoria

O nosso canal de Ouvidoria tem por finalidade atender as reclamações, críticas e sugestões dos clientes da Deboni Câmbio. De acordo com a Resolução nº 4.433 de 2015 do Banco Central do Brasil, o prazo de atendimento ao cliente pelo canal de ouvidoria é de dez (10) dias a contar da data do registro da ocorrência.